Aplicação que premeia uma boa ação vence prémio da ONU

A ideia de premiar cidadãos que façam escolhas sustentáveis para a vila de Cascais foi reconhecida mundialmente, com um prémio de inovação digital com impacto na sociedade das Nações Unidas. A aplicação CityPoints, desenvolvida pela Câmara Municipal de Cascais, foi a vencedora do World Summitt Awards (WSA), o órgão da ONU para as questões da sociedade de informação.

A App da autarquia integrava um grupo dos 40 melhores projetos mundiais, selecionados de entre mais de 400 candidaturas de 180 países. E pela primeira vez na história do WSA, foi uma autarquia a receber o mais alto galardão da organização. "É uma honra esta distinção, mas também uma responsabilidade acrescida para a Câmara, sobretudo na sua relação com os munícipes", comentou ao DN, Miguel Pinto Luz, vice-presidente de Cascais, momentos depois da eleição, que decorreu em Viena.

Para o autarca, o que a aplicação de Cascais propõe é, muito simplesmente, dar um passo "pequeno, mas na direção certa" de recuperação da confiança dos cidadãos nos seus servidores públicos."Esta mão visível opera de forma a que ações que visem o bem do coletivo tenham uma retribuição positiva ao nível individual", sustenta Pinto Luz. "Os cidadãos não confiam nos políticos, não confiam nos partidos e não confiam nem nas instituições nem nas grandes empresas a quem entregam os seus dados. A degradação do ambiente de confiança gera clima de todos contra todos de onde emerge o populismo e o radicalismo", observa.

A aplicação baseia-se num sistema de pontos - ou city points - que são acumuláveis conforme o cidadão realiza tarefas como dar sangue, votar no Orçamento Participativo, aderir a ações de voluntariado, adotar um cão abandonado, usar transportes públicos, fazer reciclagem. Depois, é possível trocar estes mesmos pontos por entradas gratuitas em museus, ingressos para eventos culturais, serviços de cuidados de animais ou mesmo livros.

Para obter estas "ofertas" basta descarregar a APP e registar-se no CityPoint Cascais. A app dispõe de uma lista de tarefas que se encontra em constante renovação, bem como um mapa com os locais de troca de pontos por vales. A adição de pontos na aplicação é feita através de scan de um QR code ou da inserção manual do código correspondente à atividade realizada.

O City Points, diz a autarquia, "permite a construção de uma sociedade mais justa, de uma democracia mais participada e exige que o poder político recompense a cidadania responsável."

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.