Apenas "erros" eliminados das listas de espera e com conhecimento da tutela

A eliminação de utentes das listas de espera para consultas hospitalares foi o tema que dominou a audição parlamentar da presidente da Administração Central do Sistema de Saúde

A presidente da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), Marta Temido, garantiu hoje que apenas foram eliminados das listas de espera "erros" informáticos e que a tutela tinha conhecimento deste trabalho de expurgo.

Marta Temido falava aos jornalistas no final de uma audição na Comissão Parlamentar da Saúde sobre o relatório do Tribunal de Contas (TdC) relativo ao acesso a cuidados de saúde no Serviço Nacional de Saúde (SNS), o qual concluiu que, no triénio 2014-2016, ocorreu "uma degradação do acesso dos utentes a consultas de especialidade hospitalar e à cirurgia programada".

Sobre a eliminação de utentes das listas de espera para consultas hospitalares, o tema que dominou a audição parlamentar, Marta Temido afirmou que se tratou de "erros", e não de pedidos de consultas, e que estes "erros" se deveram a dificuldades informáticas causadas por vários sistemas.

"Erros é uma coisa, eliminação com intenção de melhorar resultados é outra", disse, assumindo que o impulso da medida foi da ACSS, mas que a medida envolveu os hospitais e os centros de saúde, além de outros organismos do setor, e teve conhecimento das "várias tutelas, que estiveram sempre a par do que se estava a fazer".

Após a audição de Marta Temido, será ouvido o presidente do TdC sobre o mesmo relatório, estando ainda agendada uma audição ao ministro da Saúde, pela mesma razão.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.