Procura de turistas britânicos por Portugal não diminuiu

Turistas britânicos continuam a procurar por Portugal para passar férias e número cresceu bastante em relação a 2015 apesar do "Brexit"

Lusa
Turistas britânicos continuam a procurar Portugal para passar férias©  Pedro Rocha / Global Imagens

A procura de turistas britânicos por Portugal, cujo número cresceu este ano a um ritmo recorde, não diminuiu, apesar do referendo que votou a saída do Reino Unido da União Europeia, afirmou hoje a secretária de Estado do Turismo.

"Não houve um abrandamento da procura no seguimento do 'Brexit' (saída do Reino Unido da UE)", garantiu Ana Mendes Godinho, que esteve no país para uma série de encontros com operadores turísticos, representantes de companhias aéreas e associações de agências de viagens.

A governante afirmou que existe um "grande ponto de interrogação" sobre o impacto das negociações e das políticas que forem implementadas.

Porém, disse que é preciso manter a "serenidade" e acompanhar a evolução do mercado "em diálogo permanente com os operadores", e mantém "perspetiva positivas" sobre o futuro.

"Os ingleses não deixaram de passar férias e vão sempre passar férias", disse.

Nos primeiros quatro meses deste ano, o número de turistas disparou 19,2% em relação ao período homólogo de 2015, quando já tinha aumentado 8,7%, adiantou.

Este é um resultado do aumento da capacidade aérea para Portugal, não só de Londres mas de outros aeroportos britânicos.

Segundo Ana Mendes Godinho, Portugal é valorizado como um destino turístico, enfatizou, não só pelo clima, mas também pela hospitalidade, beleza e segurança.

A secretária de Estado do Turismo falava após a reunião, que visou consultar parceiros para a criação da Estratégia Turismo 2027 (ET27), que pretende, segundo um comunicado emitido hoje, "identificar prioridades e opções e promover a integração das políticas setoriais que influenciam a atividade do turismo e assegurar uma estabilidade nas políticas públicas do turismo até 2027."

Algarve, Madeira e Lisboa continuam a ser as zonas mais populares, mas hoje os operadores transmitiram o desejo de ter mais informação sobre outras regiões menos conhecidas.

Quanto ao Algarve em particular, há a vontade de combater a sazonalidade e explorar a região como um destino de inverno, que oferece também eventos culturais e turismo de natureza, como caminhadas e percurso de bicicleta.