Portugal tem sete documentos no Registo Internacional da UNESCO

Lista do património documental da humanidade, "Memória do Mundo", tem 348 bens inscritos.

Manuel Carlos Freire
A Carta de Pêro Vaz de Caminha é um dos documentos antigos portugueses que estão inscritos no Registo Internacional da UNESCO © Nuno Fox/Global Imagens

Os Arquivos dos Dembos, a Carta de Pêro Vaz de Caminha e o Tratado de Tordesilhas são três dos sete documentos portugueses que integram o programa da UNESCO "Memória do Mundo".

Segundo informação disponibilizada esta segunda-feira pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, os outros quatro documentos inscritos no Registo Internacional da UNESCO são o Roteiro da Primeira Viagem de Vasco da Gama à Índia (1497-1499), os Relatórios da Primeira Travessia Aérea do Atlântico por Gago Coutinho e Sacadura Cabral, a Coleção Corpo Cronológico e os Manuscritos do Comentário do Apocalipse (Beatus de Liébana) na Tradição Ibérica.

Os Manuscritos e o Tratado de Tordesilhas foram propostos em conjunto por Portugal e Espanha à UNESCO, que criou o programa "Memória do Mundo" em 1992 para garantir a preservação de documentos de importância mundial, tanto de natureza arquivística como bibliográfica.

Esse programa, que vai ser tema de uma conferência a realizar terça-feira no Ministério dos Negócios Estrangeiros, registou as primeiras inscrições em 1997 e já conta com 348 bens inscritos.

A Carta de Pêro de Vaz de Caminha foi o primeiro dos documentos portugueses a ser inscrito no Registo Internacional, em 2005.