Portugal e Egito partilham "algumas das mesmas ameaças e desafios"

Ministro da Defesa participou com o presidente do Egito numa conferência sobre "Segurança, terrorismo e Estado de Direito".

Manuel Carlos Freire
Presidente egípcio cumprimenta o ministro da Defesa, Azeredo Lopes (com auscultadores), e o chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, general Pina Monteiro (à direita)© Direitos reservados

O ministro Azeredo Lopes exprimiu ao Presidente do Egipto, Abdel Fattah El Sisi, "a solidariedade e amizade, sem falhas, de Portugal" no combate contra o terrorismo.

"Num mundo em que todos partilhamos algumas das mesmas ameaças e dos mesmos desafios", disse o titular da pasta da Defesa, as Forças Armadas são um "instrumento fundamental da política externa do Estado" também nesse domínio.

Azeredo Lopes intervinha numa conferência sobre "Segurança, terrorismo e Estado de Direito", organizada pelo Instituto Universitário Militar (Lisboa) e onde o presidente egípcio foi o orador convidado.

O presidente El Sisi enfatizou a importância de "pensar em conjunto as razões que levaram ao terrorismo e fazer de tudo para proteger a vida dos cidadãos", o que exige um esforço conjunto da comunidade internacional.

"Temos de enfrentar de uma forma firme e a uma só voz" aquela ameaça, pois "se não atuarmos j+a, a situação será muito complicada", sublinhou o chefe do Estado egípcio.

"As ideias do terrorismo são todas fascistas" e os grupos que as promove m "não conseguem viver em tolerância nem aceitar o outro", adiantou Abdel Fattah El Sisi, concluindo: "Enfrentar estes grupos de forma ideológica e firme é o mais importante".