Porto vai ter dois novos parques de estacionamento

Um será em Salgueiros e o outro no eixo Sete Bicas/Ramalde. Parques servirão de apoio à rede do Metro do Porto

Lusa/DN
© Global Imagens

O Porto terá dois novos parques de estacionamento (Park & Ride) para apoio à rede do Metro do Porto na zona de Salgueiros e no eixo Sete Bicas/Ramalde, anunciou esta quarta-feira a vereadora da Mobilidade da Câmara do Porto.

O anúncio foi feto esta manhã por Cristina Pimentel, em reunião pública da Câmara, em resposta ao vereador da CDU, Pedro Carvalho, que levou ao executivo uma proposta de recomendação para a construção de mais parques de estacionamento nos extremos da cidade, de modo a incentivar a utilização de transportes públicos no perímetro urbano e evitar congestionamentos na zona central, que acabou por retirar.

A CDU pedia que fossem realizados estudos sobre a necessidade e localização de parques dissuasores e a vereadora frisou que esse trabalho "está feito" e prevê 643 mil euros para dois parques de apoio à rede do Metro do Porto.

"Um deles é em Salgueiros", já com terreno, e outro no eixo Sete Bicas (Matosinhos)/Ramalde (Porto), disse, acrescentando que, para a Câmara, "não parece viável que o Porto ofereça mais estacionamento neste regime" 'Park & Ride', que permite estacionar o carro nos centros urbanos a um custo reduzido.
Cristina Pimentel referiu que estes dois parques estão previstos no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) e do Plano de Ação para a Mobilidade Urbana Sustentável (PAMUS).
A vereadora da Mobilidade lembrou ainda que ao longo da rede do Metro do Porto existem 32 parques de estacionamento, sendo que o do Dragão (Porto) dispõe de 840 lugares e tem um custo de 95 cêntimos por 12 horas.

Também o projeto para o Terminal Intermodal de Campanhã prevê um parque de estacionamento, com mais de 260 lugares, acrescentou, bem como, "em sede de PEDU, é proposto um interface no Hospital de S. João com parque".

"Tendo em conta a informação revelada", Pedro Carvalho retirou a sua proposta de recomendação.
Quanto ao modelo de gestão destes dois futuros parques de estacionamento, Cristina Pimentel afirmou não estar ainda definido, mas que poderá ser municipal ou integrado com a Metro do Porto.

O presidente da Câmara do Porto, o independente Rui Moreira, aproveitou a ocasião para afirmar que a colaboração com os municípios vizinhos "tem sido excelente" e que "a Área Metropolitana do Porto serve para articular estas políticas, sendo o PAMUS um bom exemplo disso".

O autarca mostrou ainda preocupação com o facto de muitos atravessamentos rodoviários feitos no Porto, em Vila Nova de Gaia e em Matosinhos serem feitos "por veículos que utilizam radiais e não vias periféricas para fugir a portagens", o que faz com que "a Via de Cintura Interna seja a entrada com mais trânsito do país".

"É um assunto que estamos a tratar com a Infraestruturas de Portugal", disse, acrescentando que, "portajar" mais estradas ou "desportajar outras" poderá ser a solução para assim diminuir a pressão naquelas vias e reduzir as emissões de CO2.

Nesta reunião, foi aprovada por unanimidade a proposta que prevê a mexida nos preços dos parques de estacionamento municipais, que vai agora para discussão pública.
A proposta, que prevê isenção para motociclos, ciclomotores e bicicletas, descontos para veículos elétricos, preços mais baixos para moradores e comerciantes, disse Rui Moreira, insere-se na estratégia de querer que "o estacionamento na rua seja de alta rotação".