PCP acusa CDS-PP de usar idosos como "bandeira esfarrapada"

Jerónimo de Sousa defende que os os centristas "maltrataram os reformados e pensionistas" enquanto foram Governo

Sofia Fonseca
© UNO VEIGA/LUSA

O secretário-geral do PCP criticou hoje, no Cadaval, a líder do CDS-PP por se "armar em moralista", quando os centristas "maltrataram os reformados e pensionistas" enquanto foram Governo e agora usam-nos enquanto "bandeira esfarrapada".

"A senhora deputada Assunção Cristas devia ter alguma seriedade a falar de uma coisa tão séria", afirmou Jerónimo de Sousa, que lembrou que o ministro da Segurança Social do anterior Governo PSD/CDS-PP era do CDS-PP e que foi o PCP a propor o aumento extraordinário das reformas e pensões.

"A hipocrisia tem limites. Não podem enquanto foram Governo maltratar os reformados e pensionistas e agora virem com uma bandeira bastante esfarrapada, porque têm grandes culpas no cartório na situação em que viveram os reformados e pensionistas", sublinhou.

Jerónimo de Sousa falava à margem da inauguração da sede do partido, no Cadaval.

No sábado, a líder do CDS-PP acusou a esquerda de não estar "nada preocupada em proteger a população mais vulnerável e mais frágil", lamentando o chumbo do pacote legislativo para proteção dos mais idosos, apresentado pelo seu partido.

Assunção Cristas, que visitou o mercado municipal do Entroncamento (distrito de Santarém), no âmbito da iniciativa "Ouvir Portugal", acusou as "esquerdas unidas", que na sexta-feira chumbaram a proposta centrista para criminalização dos maus tratos e do abandono de idosos, de não estarem "nada preocupadas em proteger a população mais vulnerável e mais frágil".