"O Presidente não está preocupado", garante o PEV

Deputado diz, contudo, ser ainda prematuro revelar o sentido de voto relativamente ao plano orçamental, até porque não se conhece nada do seu conteúdo

João Pedro Henriques
José Luís Ferreira expressou ainda a sua posição contrária à aplicação de sanções contra Portugal© Vítor Rios / Global Imagens

José Luís Ferreira, deputado, foi quem chefiou a delegação do PEV às audiências que o Presidente conduz hoje em Belém.

"Relativamente ao Orçamento do Estado, falamos sobre essa matéria, o Presidente da República não está preocupado mas quer saber como as coisas estão", disse o deputado.

Segundo acrescentou, a "Posição Conjunta" que o PEV estabeleceu com o PS "é uma segunda Constituição" e o partido está "disponível para prosseguir a caminhada".

Porém, disse, "é prematuro" dizer qual será o sentido de voto no Orçamento do Estado para 2017 (OE2017) até porque não se conhece nada do seu conteúdo.

O PEV manifestou ainda a Marcelo Rebelo de Sousa a sua posição absolutamente contrária à aplicação pela UE de sanções contra Portugal - "é uma espécie de ingerência", ainda por cima porque o anterior Governo seguiu de forma "quase religiosa" as políticas determinadas pela UE na legislatura 2011-2015.

O deputado ecologista assegurou ainda que uma eventual rutura no acordo com o PS será decidida pelo PEV independentemente da coligação que tem com o PCP, partido com que forma há muito uma coligação pré-eleitoral, a CDU.

Segundo explicou, a "posição conjunta" assinada entre o PEV e o PS é diferente das que o PS assinou com o PCP ou o BE e portanto uma decisão de rutura será tomada "à margem de qualquer outra consideração".