"O meu empenho será total para o sucesso da tua liderança"

O vice-presidente do CDS, que foi apontado como candidato a suceder a Paulo Portas, deixou claro o seu apoio a Assunção Cristas

Octávio Lousada de Oliveira e Valentina Marcelino
© Rui Oliveira / Global Imagens


Além de Paulo Portas e de Assunção Cristas foi, até ao momento, o único orador a levantar os congressistas para aplausos de pé. Na sua intervenção, na linha do que já de manhã tinha dito Portas, Nuno Melo quis fechar "feridas" e possíveis ruturas no partido, designadamente da parte de dirigentes e militantes que o preferiam a ele para líder ."A Assunção Cristas está em muito melhores condições para liderar o CDS do que eu próprio estaria neste momento. O meu empenho será total para que Assunção tenha uma liderança de sucesso e muito duradoura. E se correr mal, eu cá estarei para assumir as responsabilidades", afirmou.

Nuno Melo será um dos vice-presidentes do novo núcleo restrito da Comissão Política de Cristas.

Para Nuno Melo, é muito importante que Assunção tenha tido a preocupação de unir o partido, convidando para a apoiar nos órgãos nacionais, várias pessoas que estavam mais afastadas antes. "Recordo um lema que aprendi na tropa, quando era obrigatório o serviço militar obrigatório, no regimento de infantaria de Santarém: "não importa quem é mais rápido ou quem chega a frente, o que importa é que não fique ninguém para trás. E quando olho para ti, Assunção, vejo que não ficou ninguém para trás. Isto é o melhor contributo para o país. É muito importante que o CDS esteja unido e que não fique ninguém para trás".