Marisa Matias: "Não mandamos no Governo nem perdemos as nossas bandeiras"

Eurodeputada bloquista deixa vários recados a PSD e CDS e aponta o dedo à União Europeia. "Que ninguém se engane: estamos aqui para mudar o mundo", afirma

Octávio Lousada Oliveira
© JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

"A geringonça desorientou a direita." Foi desta forma que Marisa Matias começou este domingo a sua intervenção na X Convenção do Bloco de Esquerda (BE), criticando PSD e CDS por agora "criticar o Bloco por ter uma cultura de compromisso" quando antes afirmavam que era precisamente que faltava ao seu partido e recusou a ideia de que o BE se tenha desvirtuado ou, sequer, que mande no Governo.

"A direita achava que só podia haver entendimentos à direita", atirou a eurodeputada, para quem a direita "à segunda, quarta e sexta" diz que o Bloco "manda no Governo" e à "terça, quinta e sábado" afirma que o partido liderado por Catarina Martins "perdeu as suas bandeiras". "Nem mandamos no Governo nem perdemos as nossas bandeiras", contrapôs de imediato, no segundo e último dia da reunião magna que decorre no pavilhão do Casal Vistoso, em Lisboa.

Como seria expectável, Marisa aproveitou os quatro minutos no púlpito para fazer um diagnóstico ao estado da União Europeia (UE) - notou que há muito trabalho para fazer dentro de portas mas também além-fronteiras - e explicou fazendo alusão ao combate ao racismo, xenofobia e ataque ao Estado Social: "Confrontamos a UE não porque tenhamos mau feitio mas porque o projeto da UE atual está caduco e tem de ser derrotado."

"Nunca desistimos do nosso país mesmo quando as políticas eram mais agressivas", atirou a candidata às últimas eleições presidenciais, apontando para futuro: "Não desistiremos da Europa mesmo quando as políticas são mais liberais e agressivas. O nosso objetivo é muito modesto e que ninguém se engane: só estamos aqui para mudar o mundo."