Mais de um ano de espera por primeira consulta em pelo menos 20 hospitais

Um ano é o dobro do tempo definido por lei. Em algumas especialidades doentes esperam mais de três anos

Ana Bela Ferreira
© José Carmo / Global Imagens

A espera média por uma primeira consulta de especialidade é superior a um ano em pelo menos 20 hospitais públicos portugueses, o dobro do tempo máximo definido, havendo doentes que esperam mais de três anos.

Numa análise aos tempos médios de resposta para primeiras consultas hospitalares de quatro especialidades, publicados no portal do Serviço Nacional de Saúde (SNS), surgem casos de esperas médias a rondar os 900 dias e mesmo a ultrapassar os 1000 dias.

Na oftalmologia, cerca de 60% das unidades de saúde não cumpre o tempo médio de resposta garantido para uma primeira consulta, que está definido em 150 dias.

No Hospital Distrital de Chaves, a espera média por uma consulta normal de oftalmologia (não considerada prioritária) é de 1046 dias.

Ainda em oftalmologia, a espera média é superior a 800 dias, quase dois anos e meio, nos hospitais Nossa Senhora da Assunção, em Seia, e no Hospital Distrital das Caldas da Rainha.

No caso das consultas de oftalmologia, nas menos de 60 unidades listadas no portal do SNS, há 35 que não cumprem o tempo máximo de resposta garantido para uma primeira consulta considerada normal.

Na reumatologia, há um hospital em que a espera média é de 936 dias e cerca de metade das unidades ultrapassa os tempos máximos estabelecidos. Em quatro unidades, a espera média ultrapassa um ano.

A análise aos tempos publicados para consultas de otorrinolaringologia, mostra que mais de metade dos hospitais cumpre os tempos máximos, mas 44% das unidades ultrapassa-os.

Há mesmo oito unidades em que o tempo médio vai além de um ano de espera, havendo uma unidade -- o Hospital de Santo André, em Leiria -- em que a espera média é superior a 980 dias.

Nas consultas de ortopedia, mais de 50% dos hospitais ultrapassa os tempos máximos de resposta garantidos para as primeiras consultas: em 65 unidades há 35 que não cumpre os tempos.

No caso da ortopedia, chega a haver esperas médias de 886 dias -- cerca de dois anos e meio -- para aceder a uma primeira consulta como no caso do Hospital Distrital de Lamego.

No início deste ano, o Sindicato Independente dos Médicos (SIM) tinha já vindo denunciar que mais de metade dos hospitais públicos portugueses falhava os tempos máximos de resposta legalmente previstos para primeiras consultas de especialidade.