Arcebispo de Braga pede medidas e critica "passa-culpas"

Jorge Ortiga defende que mais importante do que fazer-se relatórios é aplicar as suas conclusões na prática

Sónia Silva
Jorge Ortiga falou sobre os incêndios numa ação de plantação de árvores na mata do Bom Jesus, em Braga© Paulo Jorge Magalhães/Global Imagens

O arcebispo de Braga, Jorge Ortiga, defendeu hoje que os relatórios sobre incêndios só fazem sentido se servirem para corrigir o que correu mal e criticou o "passa-culpas" das entidades responsáveis pela prevenção e combate aos fogos.

"Dá impressão que surgem estes relatórios e a grande preocupação é desculparem-se. O Ministério do Interior [da Administração Interna] que se desculpa, a Proteção Civil que se desculpa e não somos capazes de assumir a responsabilidade", referiu.

Jorge Ortiga falava aos jornalistas durante uma ação de plantação de árvores na mata do Bom Jesus, em Braga, e reagia assim ao relatório da Comissão Técnica Independente sobre os incêndios de outubro, envolvendo oito distritos das regiões Centro e Norte

Para o arcebispo de Braga, os relatórios "são importantíssimos e imprescindíveis", mas desde que não fiquem "no papel".

Jorge Ortiga apelou a que se tirem "conclusões práticas e concretas" e se ponha a funcionar "de modo adequado" o que se constatar que correu mal.

"O que importa é que se chegue a conclusões práticas e que não fiquemos com um relatório, porque não faltam relatórios na história do nosso país nos últimos tempos que depois deixam tudo na mesma", rematou.