Figuras das artes contra saída de Nuno Artur Silva

Dezenas de personalidades pedem explicações sobre o afastamento do administrador com o pelouro dos conteúdos.

Paula Sá
Nuno Artur Silva© Natacha Cardoso/Global Imagens

Um conjunto alargado de personalidades das mais variadas artes escreveu uma carta ao primeiro-ministro, ministro da Cultura e presidente do conselho de Administração da RTP a contestar a não recondução de Nuno Artur Silva, o administrador com o pelouro dos conteúdos.

"É para perceberem que estamos atentos ao futuro e que queremos mais informação", disse ao DN Aida Tavares, programadora que é uma das promotoras deste movimento em prol de Nuno Artur Silva. Na carta, os subscritores dizem não entender a posição do Conselho Geral Independente da RTP, num comunicado de 25 de janeiro, quando diz existir uma "irresolução do conflito de interesses entre a sua posição [de Nuno Artur Silva] na empresa e os seus interesses patrimoniais privados", mas ao mesmo tempo também confessa "não ter [sido] verificado que isso tenha sido lesivo da empresa, no decurso do seu mandato".

"É uma deliberação antagónica", frisa Aida Tavares, já que "se não há nenhum ilícito na sua gestão porque não é reconduzido?"- pergunta a programadora. Garante que havia satisfação com o caminho que a RTP estava a trilhar sob a liderança de Nuno Artur Silva.

"Aguardámos uns dias, continuamos sem entender. Enquanto cidadãos interessados na coisa pública, enquanto profissionais e espetadores, pedimos explicações. A que se deve esta decisão? A explicação dada no comunicado não nos esclarece. Queremos entender o porquê e perceber a razão. Conhecem alguém mais competente para este cargo do que Nuno Artur Silva? Nós, não", refere a carta.

Subscrevem estas dúvidas e pedem explicações dezenas de realizadores, programadores, atores, encenadores e coreógrafos, músicos, compositores e intérpretes, editores, autores e jornalistas, comentadores, profissionais do cinema, dos palcos, da rádio , da imprensa e da televisão.

Entre os subscritores, há nomes como o do fadista Camané, de Carlos Tê, escritor de canções, de Claúdia Verejão , realizadora, de Clara Ferreira Alves, jornalista, e de Cristina Carvalhal , atriz.