Assunção Cristas diz que deputados não têm mandato para mudar lei

Deputados votam e discutem esta terça-feira quatro projetos de lei para a despenalização da morte medicamente assistida

Patrícia Jesus
Debate sobre a eutanásia na Assembleia da República© ANTÓNIO COTRIM/LUSA

A líder do CDS-PP, Assunção Cristas, reafirmou esta terça-feira a oposição do CDS-PP à despenalização da eutanásia por "razões políticas muito sérias", defendendo que os deputados não têm mandato para votar esta alteração à lei.

"O que o Parlamento hoje se prepara para fazer é porventura prescrever uma lei nas costas dos portugueses. Os deputados têm legitimidade sim, mas não têm mandato para tratar de uma matéria tão delicada, tão sensível, tão importante para a sociedade quanto esta. Não foi tratado, debatido, aprofundado antes das eleições", disse Assunção Cristas.

A líder centrista falava à margem de uma manifestação contra a eutanásia, intitulada "Não mates, cuida", convocada pelo movimento Toda a Vida tem Dignidade', que juntou centenas de pessoas em frente das escadarias da Assembleia da República, onde esta terça-feira à tarde os deputados discutem e votam quatros projetos de lei para a despenalização da eutanásia, apresentados pelo PS, Bloco de Esquerda, PEV e PAN.