"Em breve outro ciclo se iniciará": Santana despede-se da Santa Casa

Mensagem de despedida foi enviada aos funcionários da Santa Casa. "Sou candidato à liderança do PSD", afirmou na SIC

Joana Petiz
O comunicado de Santana Lopes | foto DR
Pedro Santana Lopes acompanhou Passos Coelho em vários momentos da campanha das Autárquicas | foto Miguel A. Lopes/Lusa
Rui Rio apresenta a candidatura à liderança do PSD amanhã em Aveiro | foto José Coelho/Lusa

"Avizinham-se mudanças na Administração da SCML" e "em breve um outro ciclo se iniciará". É com estas palavras que Pedro Santana Lopes se despede dos funcionários da Santa Casa, que dirige há seis anos.

Na mensagem enviada há minutos, e a que o DN teve acesso, em que afirma que "em breve um outro ciclo se iniciará", o provedor aproveita ainda para descansar os colaboradores, sublinhando que as mudanças não colocarão em causa "a regular gestão e estabilidade do funcionamento" da instituição.

E acrescenta que, até a mudança acontecer, continua "a contar com o empenho e dedicação" de todos.

Ficam assim desfeitas as últimas dúvidas sobre o avanço do antigo primeiro-ministro e antigo presidente da câmara de Lisboa para a liderança do PSD, que ontem já era dada como certa nos bastidores do partido.

Também já esta noite, em declarações à SIC confirmou de viva voz a candidatura. "Sou candidato à liderança do PSD". A apresentação da candidatura será feita nos próximos dias, assegurou.

"Hoje é um dia de boas noticias, Portugal ganhou e eu sou candidato à liderança do PPD/PSD", afirmou.

Santana deverá então enfrentar Rui Rio na corrida à liderança do PSD, com a candidatura do ex-presidente da câmara do Porto a ser formalizada amanhã, em Aveiro, conforme anunciou ontem.

Já hoje, numa declaração enviada à SIC e lida no Primeiro Jornal, o provedor da Santa Casa afirmara que já tinha tomado uma decisão mas queria cumprir todos os passos antes de anunciá-la. "Quando tiver cumprido os meus deveres institucionais, com o governo e com o meu partido, farei a confirmação do sentido da minha decisão. Não pedi licença a ninguém para tomar a decisão que está tomada. Não estou condicionado por mais nada, nem por ninguém."

Ainda ontem, noticiava-se que Pedro Santana Lopes já falara com António Costa e Vieira da Silva, que o reconduziram na Santa Casa no ano passado, assim como com Marcelo Rebelo de Sousa, com quem almoçou ontem em Belém.

Ontem à noite, reunido em Conselho Nacional, o PSD confirmou as datas dos próximos passos para a sucessão a Pedro Passos Coelho, a que também Rui Rio será candidato. As eleições diretas para escolher o presidente acontecem a 13 de janeiro e segue-se o Congresso, a 16, 17 e 18 de fevereiro.

Passos já disse que, assim que esteja definido o seu sucessor, vai deixar o lugar que ocupa no Parlamento.