Carlos Cruz: liberdade condicional recusada

O ex-apresentador de televisão Carlos Cruz está a cumprir pena de seis anos por abusos sexuais no âmbito do processo Casa Pia. Viu agora recusada pela segunda vez a liberdade condicional

Filipa Ambrósio de Sousa

O Tribunal de Execução de Penas (TEP) considerou que o ex-apresentador de televisão não demonstra ainda arrependimento e continua sem assumir a culpa pelos crimes de abuso sexual de menores por que foi condenado no processo Casa Pia. Carlos Cruz está preso desde 2013 e foi condenado a uma pena de seis anos. Há um ano, o ex-apresentador tinha feito um pedido de liberdade condicional semelhante mas também foi recusado por razões idênticas.

O segundo pedido de liberdade condicional feito por Carlos Cruz foi apresentado no mês passado. A fundamentação passa pelo cumprimento de pelo menos metade da pena por parte do arguido. O arguido já tinha alcançado essa meta no princípio do ano passado, quando efetuou o primeiro pedido ao TEP.

Carlos Cruz tem pelo menos garantida uma nova saída precária da cadeia da Carregueira já que faz anos a 24 de março. A saída está prevista para a véspera e durará quatro dias.

O advogado de Carlos Cruz, Ricardo Sá Fernandes, vai recorrer da decisão do TEP para o Tribunal da Relação de Lisboa.