Alfama vence novamente as Marchas Populares

Marcha de Alfama repete vitória pelo terceiro ano consecutivo e destacou-se sozinha em várias das categorias avaliadas.

Alfama venceu novamente as Marchas Populares de Lisboa, anunciou esta quarta-feira a Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC), responsável pela organização da iniciativa.

A exemplo do ano passado, o segundo lugar foi atribuído à marcha do Bairro Alto e o terceiro à da Madragoa.

Esta 86ª edição das Marchas Populares de Lisboa celebrou os 120 anos do nascimento do ator lisboeta Vasco Santana (1898-1958).

Segundo a EGEAC, as marchas foram avaliadas com uma pontuação de 0 a 20 e em dois momentos: primeiro na Altice Arena, nos dias 01, 02 e 03 de junho, e na Avenida da Liberdade durante a passada noite de Santo António.

As categorias avaliadas foram as de Melhor Coreografia, Cenografia, Figurino, Letra, Musicalidade, Composição Original e Desfile da Avenida.

A marcha de Alfama destacou-se "sozinha" em várias categorias, como coreografia, musicalidade e melhor composição original, com a canção de Alfama, indicou a EGEAC.

A marcha vencedora deste ano, que repete o feito pela terceira vez consecutiva, partilhou a vitória nas categorias de melhor figurino com o Bairro Alto e Carnide, e a de melhor letra com Madragoa.

Alcântara venceu na categoria de cenografia e as marchas do Bairro Alto e da Madragoa venceram na categoria de desfile da avenida, anunciou a EGEAC.

Classificações finais das Marchas Populares de Lisboa 2018

1.º Alfama (245 pontos)
2.º Bairro Alto (235 pontos)
3.º Madragoa (234 pontos)
4.º ex aequo Alto do Pina (225 pontos)
4.º ex aequo Penha de França (225 pontos)
6.º São Vicente (219 pontos)
7.º Marvila (214 pontos)
8.º Alcântara (212 pontos)
9.º Bica (207 pontos)
10.º Bairro da Boavista (206 pontos)
11.º Graça (203 pontos)
12.º Carnide (201 pontos)
13.º Ajuda (200 pontos)
14.º ex aequo Castelo (196 pontos)
14.º ex aequo Olivais (196 pontos)
16.º ex aequo Bela Flor - Campolide (180 pontos)
16.º ex aequo Mouraria (180 pontos)
18.º Campo de Ourique (169 pontos)
19.º Lumiar (165 pontos)
20.º São Domingos de Benfica (164 pontos)
21.º Belém (157 pontos)
22.º Santa Engrácia (138 pontos)
23.º Benfica (105 pontos)

A 86.ª edição das Marchas Populares de Lisboa contou com a participação de 23 marchas: São Vicente, Alfama, Olivais, Marvila, Ajuda, Lumiar, São Domingos de Benfica, Alcântara, Benfica, Belém, Boavista, Madragoa, Mouraria, Bica, Graça, Bela-Flor Campolide, Carnide, Castelo, Penha de França, Campo de Ourique, Alto do Pina, Bairro Alto e Santa Engrácia.

Este ano, a iniciativa teve como marcha convidada a da Vila da Lousã.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.