27 pessoas no hospital devido a fuga de amoníaco

Vinte e sete pessoas foram hoje transportadas para os Hospitais de Vila Franca de Xira, de Santa Maria, em Lisboa, e de Santarém, devido a uma fuga de amoníaco numa fábrica em Benavente.

Em declarações à agência Lusa, o comandante das operações de socorro no local, Miguel Cardia, informou que, num total de 30 vítimas avaliadas, 27 foram encaminhadas para as três unidades hospitalares.

O também comandante dos Bombeiros Voluntários de Samora Correia, acrescentou que as operações na fábrica agroindustrial de produção, de abate e de comercialização de patos - Marinhave - estão concluídas.

Contudo, informação da página da internet da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), atualizada às 21:10, refere que foram transportadas para os três hospitais 26 vítimas: treze para o Hospital de Reynaldo dos Santos, em Vila Franca de Xira, nove para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, e quatro para o Hospital de Santarém.

Fonte do Hospital de Reynaldo dos Santos, em Vila Franca de Xira, confirmou à Lusa a entrada dos pacientes, acrescentando tratar-se de situações "ligeiras a moderadas", com "irritabilidade da via respiratória e dos olhos e má disposição."

Segundo a mesma fonte, prevê-se que as 13 vítimas tenham alta hospitalar ainda no decorrer do dia de hoje.

A fuga na fábrica agroindustrial de produção, abate e comercialização de patos aconteceu por volta das 18:20, tendo sido entretanto controlada por um técnico da empresa, de acordo com o Comando Distrital de Operações de Socorro de Santarém.

Miguel Cardia explicou que o amoníaco é utilizado pela empresa do setor das aves no sistema de refrigeração das câmaras frigoríficas e que o incidente ocorreu na fase de embalamento e armazenamento dos animais, não afetando os animais vivos.

Para o local foram enviados bombeiros de seis corporações, apoiados por 12 viaturas, e a equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) de Vila Franca de Xira.

Foi ainda acionado o Veículo de Intervenção em Catástrofes (VIC) do INEM de Lisboa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).