Jerónimo diz que Orçamento da direita seria muito pior

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, começa a intervenção a perguntar: "Que orçamento estaríamos a discutir se o povo com o seu voto não tivesse decidido a alteração da composição da Assembleia da República?". O comunista arrancou assim aplausos da bancada socialista.

Jerónimo de Sousa aponta como alvo a direita, começando por fazer uma análise do que seria o orçamento para 2016 caso PSD e CDS fossem governo: "Estaríamos a debater os novos cortes de mais de 600 milhões de euros das reformas e das pensões e não estaríamos a debater a reposição dos rendimentos". Esse orçamento, garante o PCP, iria dar benesses fiscais aos grandes grupos económicos, numa alusão à redução do IRC que o atual governo parou. Além de "aumento dos horários de trabalho e mais formas de facilitar os despedimentos." O líder comunista lembrou ainda a sobretaxa que o governo anterior não devolveu.

Jerónimo admite que orçamento "contém medidas que nós não acompanhamos" e que o documento deve "fazer mais e melhor". Lembrando que vem aí as alterações na especialidade, o que significa que "ainda há tempo" para melhorar o orçamento para 2016.

Ler mais

Exclusivos