Inquérito a morte de jovem diz que polícias estão inocentes

Nuno Pires morreu de uma queda e não por ter sido agredido por agentes na estação. Inquérito à morte está quase terminado.

Morte acidental. Será esta a conclusão do inquérito à morte do jovem Nuno Jorge Pires, 30 anos, na madrugada de 19 de fevereiro, depois de ter sido abordado por agentes da PSP na estação de comboios de Setúbal. A investigação ao caso que ganhou dimensão nacional está quase a terminar, soube o DN. A Polícia Judiciária de Setúbal já identificou os dois polícias que abordaram o jovem naquela madrugada e concluiu que não agrediram Nuno Pires.

O inquérito vai concluir que Nuno Pires morreu em resultado de uma queda na rua, em estado de embriaguez, depois de ter sido abordado momentos antes, na estação ferroviária, por dois agentes das Equipas de Intervenção Rápida da PSP, soube o DN com fontes policiais. Agentes que ficam isentos de qualquer responsabilidade penal e não vão ser constituídos arguidos.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG