Infarmed mantém suspensão dos lotes das vacinas enquanto aguarda perícias

O Infarmed disse hoje à Lusa que vai manter a suspensão dos lotes das vacinas RotaTeq e Prevenar 13 enquanto aguarda os resultados das perícias para determinar se a vacinação causou a morte do bebé de Camarate.

De acordo com a edição de hoje do Jornal de Notícias, a decisão do Infarmed de suspender os dois lotes de vacinas estará relacionada com a morte, na segunda-feira, de um bebé de seis meses numa creche em Camarate, Loures, que tinha sido recentemente vacinado.

A assessoria de imprensa do Infarmed -- Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde - esclareceu hoje à Lusa que o organismo vai manter a suspensão decretada como medida de precaução, enquanto espera "o resultado de várias avaliações", incluindo as conclusões da autópsia realizada na delegação Sul do Instituto de Medicina Legal.

De acordo com Pedro Faleiro, da assessoria de imprensa do Infarmed, só depois de todas as avaliações e perícias técnicas concluídas será possível saber se existe uma relação direta entre a vacinação e a morte da criança.

Pedro Faleiro esclareceu também que o Infarmed não tem qualquer previsão de datas para os resultados das avaliações.

De acordo com uma circular informativa do Infarmed, foi suspenso o lote n.º 1590AA/0671579, com prazo de validade até 31 de maio de 2013, da solução oral RotaTeq, contra o rotavírus, uma das principais causas de gastroenterite nas crianças, e do lote n.º F73745 (917690), com validade até 31 de maio de 2014, da vacina injetável Prevenar 13, para a prevenção da pneumonia.

"Atendendo a que estes medicamentos são dispensados em farmácias e administrados por profissionais de saúde, as entidades que possuam estes lotes de medicamentos não os devem dispensar ou administrar, até que seja concluída a avaliação resultante da presente situação", conclui a nota daquela autoridade.

Segundo o diretor-geral da Saúde, Francisco George, citado pelo Jornal de Notícias, o corpo da criança foi autopsiado na terça-feira na delegação Sul do Instituto de Medicina Legal (Lisboa), cujos especialistas estão "a tentar perceber o que se passou" e "irão esclarecer as causas da morte", garantindo que este é o único caso registado com estas características.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG