Assunção Cristas admite nova comissão técnica independente

É preciso ter "uma leitura também técnica sobre o que se passou", sendo a constituição de nova comissão técnica independente um "formato possível", disse Assunção Cristas

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, admitiu esta segunda-feira a constituição de uma nova comissão técnica independente aos incêndios de outubro, ressalvando que o parlamento deve refletir sobre o melhor formato possível.

"Ouvi com muita atenção essa proposta de peritos da comissão independente e devo dizer que nós próprios estávamos a refletir sobre qual a melhor forma de apurar o que se passou nestes incêndios, até para aprendermos para o futuro. É um caminho possível, também é preciso saber se os vários técnicos independentes têm essa disponibilidade", afirmou Assunção Cristas.

A líder centrista defendeu que é preciso ter "uma leitura também técnica sobre o que se passou", sendo a constituição de nova comissão técnica independente um "formato possível" sobre o qual o parlamento deve refletir.

"Falaremos com todos os partidos porque essa iniciativa nasceu há quatro meses do PSD e teve acolhimento de todos os partidos. Creio que é preciso também conversarmos entre nós para saber se esse é um caminho viável e melhor ou se há outros caminhos possíveis, até no quadro parlamentar", sustentou.

Assunção Cristas falava aos jornalistas após uma reunião com uma delegação da UGT, na sede da central sindical, em Lisboa, a propósito do Orçamento do Estado para 2018.

Três peritos da antiga Comissão Técnica Independente ao incêndio de Pedrógão Grande defenderam à TSF a necessidade de um estudo aos incêndios de outubro, que tiveram características distintas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG