Incêndio que deflagrou em Miranda do Corvo consumiu mil hectares

Incêndio ameaçou algumas casas e atingiu arrecadações e anexos de habitações deste município do distrito de Coimbra.

O incêndio que deflagrou domingo em Miranda do Corvo e se estendeu aos concelhos vizinhos de Lousã e Vila Nova de Poiares consumiu mil hectares de floresta, disse à agência Lusa o presidente da Câmara, Miguel Baptista.

O fogo, que eclodiu pelas 16:20, em povoamento florestal, perto de Vale de Colmeias, na freguesia de Semide, concelho de Miranda do Corvo, ameaçou algumas casas e atingiu arrecadações e anexos de habitações deste município do distrito de Coimbra, avançando, depois para o concelho da Lousã.

"Foi um dos piores incêndios dos últimos anos no concelho", frisou o autarca Miguel Baptista, salientando que, durante o dia de hoje, se registaram vários reacendimentos prontamente atacados pelos bombeiros e meios aéreos.

O presidente da Câmara de Miranda do Corvo, município mais afetado pelo fogo, adiantou à agência Lusa que está a ser feito o levantamento dos prejuízos por uma equipa de técnicos municipais.

O incêndio, que chegou a ser combatido por quase 400 operacionais e 118 viaturas, foi dominado cerca das 05:00, com as ações de rescaldo a prolongarem-se durante o dia de hoje.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG