ILGA lamenta "atitude" da Tranquilidade

A associação ILGA - Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual e Transgénero - lamenta a "atitude" da Companhia de Seguros Tranquilidade de cancelar a exposição de João Pedro Vale, que alega ter sido alvo de discriminação.

Em causa está a exposição "P-Town", um projecto conjunto de João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira, que resulta de uma residência artística realizada em Provincetown, nos Estados Unidos, que devia abrir no Espaço Arte daquela seguradora em Lisboa, a 2 de Setembro.

Esta localidade é "um sítio original", descreveu à agência Lusa Paulo Côrte-Real, presidente da ILGA, explicando que é uma vila "simultaneamente muito portuguesa e muito LGBT [lésbica, gay, bissexual e transgénero]".

Segundo João Pedro Vale, quando a Tranquilidade teve conhecimento do conteúdo da exposição, pediu-lhe outro projecto, alegando que o apresentado "ia contra os valores promovidos pela instituição". O artista recusou, considerando ter sido alvo de uma "atitude de censura".

Em comunicado enviado hoje à agência Lusa, a Companhia de Seguros Tranquilidade nega que a exposição tenha sido cancelada por motivos relacionados com a sua temática homossexual.

Garantindo que tem uma "política intransigente de não discriminação de qualquer tipo", a Tranquilidade defende que "a expressão artística não deve ser refém de convenções", mas sublinha que "tem o dever de assegurar nos seus espaços o respeito pela sensibilidade de um número o mais alargado possível de stakeholders [accionistas]".

Paulo Côrte-Real diz, com pena, que "a homofobia", tema da exposição, ainda não é "uma preocupação transversal a todos os agentes económicos".

As empresas nem sempre têm uma política de igualdade em matéria de orientação sexual, lamenta o dirigente associativo, recordando que "há quatro anos os bancos BES e BEST discriminaram homossexuais no acesso ao crédito, tendo o último sido inclusivamente condenado em tribunal".

No caso particular, "tratando-se de um trabalho artístico era importante que houvesse uma garantia de valorização da liberdade de expressão", sublinhou.

Em comunicado, a seguradora refere que no Espaço Arte Tranquilidade, inaugurado em 2008, "já expôs um alargado conjunto de artistas, numa clara intenção de contribuir para o acesso à arte contemporânea por parte dos diferentes públicos".

Actualmente o espaço é dinamizado em conjunto com três galerias de arte de Lisboa - Filomena Soares, Miguel Nabinho e Bajinsky -, através de um acordo estabelecido para esse efeito, sendo que estas assumem a responsabilidade pela programação do espaço.

João Pedro Vale concebeu a exposição em causa a convite da galeria Filomena Soares, que o representa.

"A programação do espaço cultural da companhia de seguros é feita através de galerias de arte, que têm toda a liberdade para convidar os artistas e servem de intermediários", indicou João Pedro Vale, nascido em 1976, licenciado em Escultura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e representado em várias colecções nacionais e estrangeiras.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG