Idosos pessimistas vivem mais e melhor

Os idosos mais pessimistas, sobre as perspetivas de felicidade futura, vivem mais tempo e com melhor saúde do que os otimistas, indica um estudo alemão.

"As pessoas mais velhas, que esperam um grau de satisfação limitado da sua situação no futuro, vivem claramente mais tempo e com melhor saúde do que as que imaginam um futuro promissor", escreve, num comunicado, o instituto alemão de investigação económica DIW, citando um estudo universitário.

Os investigadores da Universidade Friedrich-Alexander de Nuremberga, no sul da Alemanha, basearam-se nos resultados de um painel socioeconómico alemão, com 30.000 pessoas, na origem de um vasto estudo multidisciplinar, realizado desde 1984.

Foram analisadas as respostas dadas anualmente, pelos elementos desse painel, entre 1993 e 2003, acerca do estado de satisfação atual e das perspetivas num horizonte de cinco anos, sendo depois verificada a concretização ou não das expectativas, segundo a agência France Presse.

"É provável que o facto de ser mais pessimista, quanto ao seu futuro, encoraje os idosos a terem mais cuidado com a sua saúde e a serem mais prudentes",considerou Frieder Lang, diretor do instituto de psicologia gerontológica da Universidade de Nuremberga, citado no comunicado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG