Idosa desaparecida há quase duas semanas em Mértola

A GNR continua a desenvolver diligências para encontrar a idosa desaparecida há quase duas semanas no concelho de Mértola, no Alentejo, admitindo a possibilidade de a mulher ter abandonado a casa voluntariamente, disse hoje fonte da força de segurança.

"As diligências continuam para encontrar a mulher", de 77 anos, garantiu à agência Lusa a fonte da GNR, indicando que nenhum dos familiares tem conhecimento do paradeiro da idosa.

A idosa desapareceu no dia 13 deste mês da sua casa na aldeia de Mina de São Domingos, no concelho de Mértola, e nunca mais foi encontrada, apesar das buscas efetuadas na zona pela GNR, incluindo com meios cinotécnicos, bombeiros e populares.

Uma das hipóteses equacionadas pelas autoridades é a idosa ter abandonado a casa de forma voluntária, porque, no dia em que saiu da residência e já não regressou, levou todo o dinheiro da reforma que tinha recebido nessa semana.

Citando relatos de familiares e vizinhos, a mesma fonte explicou que entre a idosa e o marido havia "desentendimentos", sobretudo devido aos hábitos alcoólicos do homem.

A fonte assegurou ainda não existirem indícios de crime.

Como é habitual em casos de desaparecimento, a GNR já difundiu, junto de outras autoridades policiais, a identificação da idosa e informações sobre a roupa que vestia no dia em que saiu de casa.

As buscas no terreno, a cargo da GNR e dos bombeiros, que tinham começado no passado dia 14, um dia após o desaparecimento, terminaram quatro dias depois.

Segundo o oficial, o facto de o marido da idosa só ter alertado a GNR no dia seguinte ao desaparecimento "poderá ter comprometido" a localização através das buscas.

No dia em que desapareceu, a idosa tinha saído de casa para recolher lenha (pinhas) para acender o lume, o que "era habitual", mas já não regressou, explicou o oficial, reportando-se a relatos do marido.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG