Hospitais privados não recebem há meio ano

Os hospitais privados que aderiram ao programa de combate às listas de espera estão sem receber há pelo menos meio ano e as dívidas também são significativas na prestação dos cuidados continuados pagos pelo Estado, segundo fonte do setor.

Fonte da Associação Portuguesa dos Hospitais Privados (APHP) - que integra 70 unidades das cerca de cem existentes no país -, disse à agência Lusa que os atrasos dos pagamentos por parte do Estado se situam, em média, entre os oito a nove meses.

Estes atrasos estão a colocar muitos entraves de tesouraria em alguns grupos privados de saúde, segundo a mesma fonte.

Metade dos associados da APHP aderiu ao Sistema de Gestão dos Utentes Inscritos para Cirurgia (SIGIC), que visa combater as listas de espera, e todos eles registam atrasos no pagamento de pelo menos seis meses.

A situação é ainda mais grave nos cuidados continuados, segundo a mesma fonte, que adianta que os atrasos no pagamento estão a levar as unidades de saúde a não aderirem à rede.

No caso dos cuidados continuados, a situação agrava-se porque a dívida aumenta de mês para mês, obrigando a mais despesa.

A mesma fonte disse que têm existido vários contactos com a tutela, bem como a promessa de pagamentos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG