Há 50 câmaras térmicas de longo alcance - GNR

A Unidade de Controlo Costeiro (UCC) da Guarda Nacional Republicana tem em operação 50 câmaras térmicas de longo alcance, distribuídas de forma a "blindar a costa", garantiu hoje à Lusa fonte daquela força de segurança.

A preocupação da GNR prende-se com "as zonas identificadas como áreas de desembarque e que estejam sob vigilância, com enfoque no Algarve e na Costa Vicentina", e a provar está "o aumento das apreensões de droga", considerou a mesma fonte.

"A GNR evita divulgar alguma informação de caráter operacional", para poder "atuar de forma discreta e intercetar os ilícitos", e "tem de salvaguardar informação por questões de segurança", acrescentou.

Os postos de observação fixos do Ancão e do cabo Sardão já cobrem uma "grande área marítima" e "quando todo o sistema estiver concluído vai permitir a poupança de muitos meios humanos", utilizados atualmente nos "sistemas móveis a vigiar praias, costa e mar", explicou ainda.

A mesma fonte referiu que há pouco tempo as autoridades portuguesas "seguiram uma lancha carregada com haxixe", proveniente da costa de África, que "entrou pelo rio Guadiana e em colaboração com a Guardia Civil espanhola apreendeu mais de duas toneladas de droga", recorrendo a "uma das câmaras novas já em funcionamento".

A fonte do Estado-maior da UCC explicou ainda que vão estar a funcionar a curto prazo mais "oito unidades móveis, com as mesmas capacidades dos postos de observação fixos (PO)", e que "parte dos equipamentos do SVICC [Sistema Integrado de Vigilância, Comando e Controlo da Costa Portuguesa] já estão no terreno".

As câmaras "colocadas de modo discreto ao longo da costa", em carrinhas e viaturas todo-o-terreno, possuem a "mesma tecnologia, inclusive da mesma marca, dos equipamentos utilizados pelos marines americanos no Afeganistão", referiu ainda.

A UCC assegura a atividade operacional marítima com 20 lanchas, no âmbito do SIVICC da costa. São 12 Lanchas de Vigilância e Interceção e mais oito Lanchas de Fiscalização de Águas Interiores, o que permite àquela força de segurança controlar e fiscalizar todo o tipo de infrações no mar e nos rios, referiu a mesma fonte.

Além disso, a costa conta com um sistema de radar alternativo, complementado com unidades móveis, tendo o sistema antigo sido desligado porque não respondia, disse hoje à Lusa fonte do comando da Unidade de Controlo Costeiro da GNR.

"O sistema antigo tinha de ser desligado porque estava velho, e já não respondia, por isso está a ser instalado o SIVICC" e a "UCC da Guarda Nacional Republicana está a operar o VTS [do Ministério das Obras Públicas], como sistema alternativo", explicou a fonte contactada pela agência Lusa.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG