Guterres saudado ao som de... Vangelis

Antigo primeiro-ministro regressou a um Congresso do PS 16 anos depois

António Guterres foi saudado pelos congressistas de pé e ao som do grego Vangelis, a banda sonora do filme "1492" que acompanhou os seus tempos de secretário-geral do PS. Foi o regresso do antigo primeiro-ministro e ex-líder socialista a um congresso do partido, 16 anos depois

Numa breve intervenção, o ex-alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados e candidato a secretário-geral da ONU notou que, durante dez anos, as suas funções inibiram-no de participar em congressos socialistas.

"Corro o risco, se as coisas correrem bem, de acontecer o mesmo no futuro", atirou, referindo-se à eventual eleição para liderar a ONU.

Guterres - que Carlos César apresentou antes como uma das "pessoas das quais temos saudades" - deixou depois também a sua "solidariedade" e "os maiores êxitos" para o Governo e o país. "Não podem imaginar as saudades que tinha de aqui estar", disse.

O agora candidato a secretário-geral da ONU, depois de dez anos como alto comissário das Nações Unidas para os refugiados, demitiu-se de líder do PS e de primeiro-ministro no final de 2001, na sequência de uma forte derrota eleitoral do seu partido nas eleições autárquicas desse ano.

Um ano antes tinha sido reeleito secretário-geral do PS. O congresso desse ano que lhe confirmou a liderança foi o último do PS onde esteve presente. Em 2002, no congresso seguinte, já com o partido liderado por Ferro Rodrigues, já não foi. E nunca mais voltou.

António Guterres e Ferro Rodrigues serão portanto neste conclave os dois únicos ex-líderes do PS presentes. Vítor Constâncio, Jorge Sampaio, José Sócrates e António José Seguro irão faltar.

Exclusivos