Guardas prisionais voltam a reunir com Governo

O presidente do Sindicato Independente do Corpo de Guarda Prisional (SICGP), Júlio Rebelo, admitiu hoje a desconvocação da greve com início previsto na terça-feira se "os interesses da classe forem salvaguardados" na reunião do dia anterior, no Ministério das Finanças.

O SICGP vai ser confrontado com a ata negocial do projeto de estatuto profissional, que foi assinada apenas pelo Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP), na sexta-feira, e que integra a promoção de guardas prisionais.

No entanto, Júlio Rebelo disse à agência Lusa que "a convocação da greve não se remete unicamente para a promoção dos guardas prisionais", frisando que a paralisação, por um período de 20 dias, foi convocada igualmente por causa "dos índices remuneratórios".

O dirigente sindical, que se reúne na segunda-feira com o secretário de Estado da Administração Pública, Hélder Rosalino, admite que "a desconvocação da greve é um dos cenários possíveis" após o encontro, mas reiterou que apenas "desde que estejam salvaguardados os interesses transversais a todo o corpo de guarda prisional".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG