Governo propõe general Manuel Rolo para chefe da Força Aérea

Comandante aéreo da Força Aérea é o mais mais novo dos generais de três estrelas do ramo. Governo aprova nome na quinta-feira.

O tenente-general Manuel Rolo vai ser o novo chefe do Estado-Maior da Força Aérea (CEMFA), sucedendo ao general José Pinheiro, soube o DN.

O nome indicado pelo Governo foi apreciado esta terça-feira pelo Conselho Superior da Força Aérea e foi abordado, ao fim da manhã, pelo Presidente da República com o chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA), Pina Monteiro.

O Ministério da Defesa escusou-se a reagir a informação obtida pelo DN, indicando que "não comenta quaisquer nomes potenciais" para novo CEMFA.

O tenente-general Manuel Rolo, sendo aceite pelo Presidente da República cessante, será nomeado por Cavaco Silva (numa cerimónia que deverá realizar-se quarta-feira).

A indicação do novo CEMFA tem sido vista nos bastidores como estando ligada à escolha do Chefe da Casa Militar do Presidente da República eleito, Marcelo Rebelo de Sousa, dado que um dos nomes apontados para o cargo era também candidato a CEMFA: o tenente-general João Cordeiro, atual representante militar (MILREP) de Portugal junto da NATO.

O MILREP é visto como próximo do centro-direita, dado ter sido assessor para a Força Aérea de Soares Carneiro - candidato presidencial apoiado pela AD em 1980 - quando o general foi CEMGFA durante os governos de Cavaco Silva (1989-1994). A sua ligação a Luís Marques Mendes, por via do casamento entre filhos de ambos, é outro elemento apontado por quem o liga àquela área política.

Note-se que o MILREP também foi assessor dos ministros da Defesa socialistas António Vitorino e Veiga Simão, lembrou uma das fontes militares ouvidas pelo DN.

A escolha de Manuel Rolo, sendo o mais novo dos seis generais de três estrelas da Força Aérea, replica o processo de nomeação do atual CEMFA: José Pinheiro também era o mais moderno quando foi proposto - e aceite por Cavaco Silva - para aquele cargo.

Manuel Rolo - cujo nome foi apreciado esta manhã pelo CEMFA cessante e pelos quatro generais de três estrelas com assento no Conselho Superior do ramo - foi chefe de gabinete do anterior CEMGFA, general Luís Araújo (que foi o antecessor de José Pinheiro à frente da Força Aérea e também era um dos tenentes-generais mais novos quando foi escolhido).

(Notícia retificada às 22:45, no segundo e quinto parágrafos. O CEMGFA apreciou o nome do novo CEMFA com o Presidente da República e não lho comunicou, como por lapso escrevemos. O MILREP foi assessor do general Soares Carneiro e não ajudante de campo. Acresce que também trabalhou com os ministros socialistas António Vitorino e Veiga Simão)

Exclusivos