Governo precisa de medidas adicionais de 1400 milhões para cumprir défice em 2017

Crescimento para 2017, que era de 3,1% no plano de Centeno e de 2,6% no programa de governo, será afinal de apenas 1,8%

Mais austeridade ou, pelo menos, mais medidas de contenção orçamental. De acordo com o Programa de Estabilidade, que Diário Económico e TSF têm vindo a divulgar esta manhã, a meta do défice para 2017 terá de baixar de 2,6% para 1,4%, o que significa que, face a este ano de 2016, são precisas medidas (do lado da receita ou da despesa) no valor de 1400 milhões de euros.

O esforço orçamental até podia não ser tão grande se o crescimento fosse galopante. Mas, de acordo com a TSF e o DE, o crescimento é revisto em baixa. É estimado um crescimento para 2017 de 1,8%, o mesmo previsto para este ano. Este valor é muito abaixo dos 3,1% que Centeno previa no plano macroeconómico há um ano e dos 2,6% previstos no programa de governo viabilizado por toda a esquerda no Parlamento.

O Programa de Estabilidade deverá ser aprovado amanhã em Conselho de Ministros e chegará a Assembleia da República a 27 de abril, onde será discutido.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG