Governo diz que meios de combate têm capacidade de resposta

O ministro da Administração Interna apelou à população para que adopte comportamentos responsáveis e disse que cabe à polícia criminal investigar os incêndios resultantes dos actos dolosos e negligentes.

Rui Pereira, que assistiu hoje ao ponto da situação da Autoridade Nacional de Protecção Civil, em Carnaxide, referiu que só na segunda feira se registaram mais de 400 ocorrências, um número elevado para o qual estão a contribuir 'condições particularmente adversas', como as elevadas temperaturas e humidade.

Em relação ao dispositivo - que conta com 10 mil homens, 2000 viaturas e 56 meios aéreos - o ministro disse que está com 'toda a prontidão e eficiência'.

No caso dos meios aéreos, o ministro disse que, na segunda feira, participaram em mais de 150 ocorrências. Ainda sobre os meios, Rui Pereira sublinhou que 'estão no terreno a investigar e a reprimir actos ilícitos' os órgãos de polícia criminal. Cabe à polícia criminal investigar os incêndios resultantes dos actos dolosos e negligentes.

Também a 'intervir e a actuar' estão os elementos dos GIPS (Grupo de Intervenção e Prevenção do Socorro) que, segundo Rui Pereira, estão a funcionar com toda 'operacionalidade'.

Rui Pereira realçou ainda a cooperação entre Portugal e Espanha, sublinhando que as autoridades espanholas 'têm demonstrado disponibilidade para ajudar'.

Apelou ainda à população para que adquira comportamentos responsáveis e 'não façam fogos de maneira nenhuma', o que por si só 'já ajuda muito o combate aos incêndios'.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG