Governo da Madeira preocupado com greve de estivadores

Força Aérea tem transportado medicamentos por via aérea. Miguel Albuquerque preocupado com consequências para a economia da região

O presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, transmitiu esta segunda-feira ao ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, as preocupações da região relativamente às consequências para a economia regional da greve dos estivadores no Porto de Lisboa.

"Ainda na sexta-feira tive de tomar uma decisão muito urgente relativamente ao transporte de medicamentos para o Serviço Regional de Saúde", revelou Miguel Albuquerque após uma reunião, na Quinta Vigia, com o ministro da Economia do Governo de António Costa.

O presidente do Governo Regional defendeu a necessidade de haver um "regime de excecionalidade" para as regiões autónomas: "Estamos dependentes das operações portuárias e as nossas necessidades dependem disso".

Miguel Albuquerque aproveitou a ocasião para agradecer à Força Aérea Portuguesa a "anuência imediata que teve relativamente ao transporte de medicamentos por via aérea".

O Sindicato dos Estivadores emitiu um novo pré-aviso de greve, a 28 de abril, para o porto de Lisboa, com incidência nos portos de Setúbal e da Figueira da Foz, que prolongou a paralisação até ao dia 27 de maio. Já a 12 de maio foi anunciado o prolongamento da greve até 16 de junho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG