Governo da Madeira condecora jornalistas críticos a Jardim

Lília Bernardes, ex-jornalista do DN, e José Tolentino da Nóbrega foram agraciados a título póstumo, na presença do Presidente da República

Dois dos jornalistas que mais escrutinaram a ação política de Alberto João Jardim, o ex-Presidente do Governo Regional da Madeira, fora esta sexta-feira agraciados pelo seu sucessor, Miguel Albuquerque com a "insígnia autonómica do valor". Esta condecoração, atribuída a título postumo, distingue "o desempenho e virtudes profissionais, com merecimento de serem apontados ao respeito e consideração pública".

A ex-jornalista do DN (do qual foi correspondente até 2014), Lília Bernardes, que morreu em abril passado, foi uma das homenageadas. Natural da Madeira foi colaboradora de vários órgãos de comunicação social nacionais. Diz o prospeto oficial da cerimónia que era "reconhecida pelo seus pares com uma jornalista interventiva e defensor da liberdade de imprensa e do dever de informar com rigor". No último ano antes de falecer, depois de o DN ter dispensado a sua colaboração, exercia funções de adjunta na Presidência do Governo Regional.

José Tolentino a Nóbrega, que morreu em abril de 2015, foi outro dos agraciados. Foi correspondente de vários jornais nacionais, entre os quais o Público e o Expresso. Era considerado "um jornalista de grande verticalidade, um homem das artes e do grande humanismo, reconhecido nacional e internacionalmente, um incansável lutador do jornalismo independente, sério, de causas nobres".

As insígnias foram entregues a familiares por Miguel Albuquerque e pelo Presidente da República, durante a visita que este último está a realizar à Madeira.

Alberto João Jardim não esteve presente.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG