GNR diz que está usar radares móveis e sistemas alternativos

A costa portuguesa está protegida por um sistema de radar alternativo, complementado com unidades móveis, tendo o sistema antigo sido desligado porque não respondia. Esta a resposta da GNR à notícia de hoje do DN, que dá conta que o sistema de radares que controla a costa está desligado.

"O sistema antigo tinha de ser desligado porque estava velho, e já não respondia, por isso está a ser instalado o SIVICC [Sistema Integrado de Vigilância Comando e Controlo]" e a "UCC da Guarda Nacional Republicana está a operar o VTS [do Ministério das Obras Públicas], como sistema alternativo", disse à Lusa fonte do comando da Unidade de Controlo Costeiro (UCC) da GNR.

O "Sistema de radar VTS [Vessel Traffic System, do acrónimo em inglês] em Ferragudo é operado por militares da UCC" e "cerca de 350 militares estão no terreno 24 sobre 24 horas a patrulhar e a vigiar a costa" com unidades móveis novas, binóculos, radares e sistemas de comunicações, explicou a fonte do Estado-maior da Unidade de Controlo Costeiro.

A título de exemplo, a mesma fonte afirmou que "na semana passada, foram entregues aos espanhóis mais 2.750 quilos de droga que vinha de África", o que "prova que a vigilância de costa está a funcionar".

O SIVICC "não pode ser visto de uma forma isolada", é um "sistema de complementaridade e que está a ser testado e afinado", tendo ainda nas últimas duas "semanas decorrido provas de mar, em Sines e Algarve, no seguimento de embarcações", contou.

A fonte explicou ainda que alguma "demora na instalação" do novo sistema prende-se com os "postos de observação fixos", porque "são necessárias licenças e autorizações de entidades externas à GNR e ao ministério".

A plataforma de gestão (SIVICC) terá por base cinco grandes subsistemas, a área de comunicações, a detecção e identificação, o comando e controlo, a gestão e a localização geo-referenciada das embarcações, incluindo as mais pequenas, especificou a fonte da GNR.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG