GNR apreende 11 mil litros de bebidas alcoólicas

A Unidade de Ação Fiscal da GNR apreendeu mais de 11 mil litros de bebidas alcoólicas ilegais em quatro operações nos últimos três meses, que lesaram o Estado em mais de 25 mil euros em impostos.

A última operação da Unidade de Ação Fiscal (UAF) decorreu na terça-feira em Santo Tirso, no Porto, e originou uma "apreensão de 3 660 litros de aguardente" numa herdade em Burgães, disse em declarações à agência Lusa o comandante do destacamento do Porto, capitão Ricardo Monteiro.

Por seu lado, o destacamento da UAF de Lisboa "apreendeu nos últimos três meses, mais de 8 mil litros de várias bebidas alcoólicas", em três operações de fiscalização nos distritos de Lisboa, Setúbal e Leiria, adianta o comandante desta unidade, capitão Daniel Gomes.

O comandante do Porto precisou que "o valor da mercadoria apreendida na última operação cifra-se em 25 620 euros", entre o preço de venda da aguardente e do imposto devido, calculado em cerca de 10 mil euros", que o produtor "vendia ilegalmente" fora do circuito comercial, mas recusou adiantar pormenores por "ainda estar a decorrer o inquérito".

O capitão Daniel Gomes, que comanda o destacamento que abrange os distritos de Lisboa, Leiria, Setúbal e Santarém, destacou que os militares da Guarda apreenderam cerca de "8 mil litros de várias bebidas alcoólicas desde novembro entre aguardentes variadas, vinhos licorosos e licores vários" além de alambiques, caldeiras, várias colunas, cubas e refrigeradores.

Na região de Lisboa as operações da GNR, além do objetivo de travar esta atividade ilegal - que "lesou o Estado em mais de 15 mil euros" - também "traduz especial importância no sentido em que se retirou do consumo uma considerável quantidade de álcool que representava um elevado risco para a saúde pública", concluiu o capitão Daniel Gomes.

Exclusivos