FNE diz que "não há professores em excesso"

A Federação Nacional da Educação (FNE) considerou hoje que o concurso interno de colocação de 10.826 dos 13.011 professores revela que "não há professores em excesso" e que o "quadro é insuficiente".

O presidente da FNE, João Dias da Silva, referiu à agência Lusa que o concurso de professores, divulgado hoje pelo Ministério da Educação e Ciência, não preenche todo "o universo de horários que há ainda para preencher".

Por isso, o sindicalista sublinhou que "vai ter de haver professores contratados", porque, acentuou, o concurso de colocação de docentes no quadro foi "sub-dimensionado".

"O número de lugares do quadro que abriu é inferior às necessidades do sistema educativo", disse João Dias da Silva.

O Ministério da Educação anunciou hoje que cerca de 83 por cento dos professores do quadro foram colocados e que existem ainda 2.185 sem horário atribuído e mais de 6.000 horários para preencher, de acordo com as necessidades identificadas anteriormente pelas escolas.

Estes horários serão agora devolvidos às escolas para reavaliarem as necessidades.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG