Fernando Negrão pediu desculpa aos deputados e diz que problemas "estão resolvidos"

Negrão defendeu que os deputados saem desta reunião da bancada "coesos e unidos"

Fernando Negrão pediu desculpa aos deputados do PSD por ter afirmado que havia um problema de ética na bancada e considera que os problemas no grupo parlamentar social-democrata estão agora "resolvidos". Após uma reunião da bancada que se prolongou por duas horas e meia, o líder parlamentar social-democrata, eleito na passada semana com 35 votos a favor, 32 brancos e 21 nulos, admitiu ter pedido desculpa pelo que qualificou como "excesso de linguagem". Resumindo o encontro como um momento de "catarse", de "conversas muito francas e muito cordiais entre todos", Negrão defendeu que os deputados saem desta reunião "coesos e unidos".

Há exatamente uma semana, depois de conhecidos os resultados das eleições para a liderança da bancada, Negrão apontou um "problema de ética" no grupo parlamentar, afirmando que houve pelo menos dois deputados que integravam as listas que não votaram favoravelmente. Hoje, de acordo com relatos da reunião (que decorreu à porta fechada) feitos ao DN, o líder da bancada usou logo a intervenção inicial para se desculpar por estas palavras, o que acabou por apaziguar os ânimos de uma bancada que passou a última semana em clima de confronto. O tom geral das intervenções foi ainda assim de "duras críticas" - uma expressão repetida por vários deputados -, mas assinalando a atitude de humildade e apaziguamento assumida pelo novo líder.

Depois de, no discurso inicial, Negrão ter elogiado os seus antecessores no cargo, foram precisamente estes a tomar a palavra - Luís Montenegro, José Pedro Aguiar-Branco, Hugo Soares e Luís Marques Guedes. Os dois primeiros foram particularmente críticos quer da gestão do processo de eleição da nova direção parlamentar, quer das declarações proferidas depois por Negrão. Aguiar-Branco questionou também que Rui Rio não tenha ainda reunido com o grupo parlamentar. Em todos os casos, os ex-líderes parlamentares sublinharam que é necessário ultrapassar este momento e chamar todos os deputados ao trabalho.

Outro foco de crítica de vários parlamentares foram as declarações, que se foram ouvindo ao longo da última semana, a exortar os deputados críticos a abdicar do mandato. Negrão foi criticado por não se ter demarcado destas afirmações, tendo dito apenas, em entrevista à SIC Notícias, na quinta-feira passada, que se houvesse deputados a sair seriam substituídos pelos suplentes.

Nas declarações aos jornalistas, no final da reunião, Fernando Negrão afirmou que Rui Rio estará presente, "em princípio", na reunião do grupo parlamentar da próxima semana.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG