Feridos líbios em Lisboa só na próxima semana

O ministro da Defesa disse esta sexta-feira que o avião militar português enviado à Líbia para recolher uma vintena de feridos só deverá regressar segunda-feira a Lisboa.

José Pedro Aguiar-Branco, que falava aos jornalistas à margem da cerimónia de abertura do ano lectivo do Colégio Militar, justificou o atraso na chegada do Hércules C-130 (prevista para esta sexta-feira) com razões logísticas.

A situação caótica que se vive em Tripoli, onde as equipas de médicos militares portugueses chegaram quinta-feira, e a vontade das autoridades líbias em enviar para Lisboa feridos oriundos das diferentes tribos locais explicam o atraso, precisou uma fonte ouvida pelo DN.

O próprio processo de triagem dos doentes, a internar nos hospitais militares da Estrela e do Lumiar (ambos em Lisboa), também é algo moroso, uma vez que só serão transferidos quem puder ser ali tratado.

Portugal custeará os primeiros 30 dias de internamento e tratamento dos feridos líbios, que serão "cerca de 20", adiantou Aguiar-Branco.

O seu transporte e repatriamento, bem como os dias adicionais de tratamento, serão pagos pelas autoridades de Tripoli, a pedido de quem Portugal está a prestar essa ajuda humanitária.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG