Fenprof quer explicações sobre atuação da GNR na A1

A Fenprof vai pedir explicações ao ministro da Administração Interna (MAI) sobre a atuação da GNR no desbloqueio dos autocarros de professores que hoje ficaram retidos na autoestrada A1, devido a um acidente.

"Vamos exigir uma reunião ao Ministro da Administração Interna para pedir explicações e protestar a forma como a polícia atuou", disse hoje à agência Lusa Mário Nogueira, secretário-geral da Fenprof.

De acordo com Mário Nogueira, cerca de 100 autocarros com 5.000 professores oriundos das regiões norte e centro do país, que se deslocavam para uma manifestação em Lisboa, "ficaram parados na A1 cerca de duas horas", levando ao atraso no desfile de docentes marcado para as 15:15 no Marquês de Pombal.

O despiste de um veículo pesado que transportava suínos ocorreu às 12:30, ao quilómetro 11,4, sentido norte-sul, na zona de Santa Iria de Azóia e levou ao corte do trânsito na A1.

"Não é estranho que tenha acontecido um acidente. O que é estranho é que os autocarros tenham sido os últimos a serem desbloqueados", frisou Mário Nogueira.

O líder da Fenprof disse ainda estranhar que "sempre que há uma manifestação em Lisboa, há sempre qualquer coisa com autocarros de professores à entrada" da cidade.

No Marquês de Pombal, pelas 15:30 estavam concentrados milhares de professores, de várias partes do país, que se manifestam em defesa da profissão, da escola pública e da qualidade do ensino e que empunham bandeiras dos vários sindicatos afetos à Fenprof.

Os professores vão desfilar pela Avenida da Liberdade, entre o Marquês de Pombal e o Rossio, em Lisboa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG