Família de português ainda à espera da entrega do corpo

A família de António Soares Nunes, que morreu no acidente do avião das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) ocorrido a 29 de novembro, exigiu hoje ao Governo português que pressione a Namíbia para que seja entregue o corpo.

Em comunicado hoje divulgado, a família do empresário de Estarreja, que seguia no avião que fazia a ligação entre Maputo e Luanda e se despenhou a norte da Namíbia, fez hoje um apelo público ao governo português "no sentido de que este envide os seus melhores esforços, para que seja possível a entrega do corpo".

Três meses após o desastre, o corpo de António Soares Nunes é o único dos sete portugueses que ainda não foi entregue à família, sem que os familiares entendam o motivo.

"A perda de um familiar nas circunstâncias conhecidas, acrescida deste longo, doloroso e desesperante período de tempo, tem tornado a vida desta família emocionalmente insuportável, ainda mais, quando as informações que a família vai tendo vão no sentido de que a libertação do corpo está a ser dificultada por problemas burocráticos junto das entidades namibianas", refere um texto enviado à Lusa em nome da família.

Os familiares de António Soares Nunes dizem desconhecer em concreto de que problemas se trata, nem entende sequer o motivo pelo qual possam eles surgir, estando a situação a agravar, ainda mais, o seu sofrimento.

"A família tem esperança que o governo português, através do recurso à via diplomática, consiga desbloquear esta incompreensível e dolorosa situação e dirige publicamente um forte apelo para que o faça o mais rapidamente possível", conclui o texto.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG