Falso PJ e bancário condenado a sete anos de prisão

Um homem que fingiu ser inspetor da Polícia Judiciária (PJ) e bancário para burlar 37 pessoas em mais de 130 mil euros, através do uso fraudulento do serviço MBPhone, foi, esta terça-feira, condenado a sete anos de prisão.

O serviço MBPhone permite que o titular de um cartão multibanco realize operações bancárias - consultas, transferências e pagamentos de serviços -, através de uma aplicação de telemóvel, com recurso a um código secreto.

Paulo Delaunay, de 51 anos, foi condenado pelo coletivo de juízes da 6.ª Vara Criminal de Lisboa, a seis anos e meio de prisão por burla qualificada, e a um ano pelo crime de falsificação de documento.

Em cúmulo jurídico, o tribunal decretou a pena única de sete anos de prisão efetiva.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG