Exames no 4.º ano são experiência lamentável, diz BE

O Bloco de Esquerda manifestou hoje solidariedade para com os pais, professores e alunos que passaram hoje pela "experiência pedagogicamente lamentável" dos exames do 4º ano e anunciou que voltará a propor a eliminação da prova.

Em conferência de imprensa, no Parlamento, o deputado Luís Fazenda criticou a "experiência pedagogicamente lamentável" e o "modelo conservador, atrasado e recuado" que o Governo pretende com os exames do quarto ano, destacando que em nenhum outro país da União Europeia contam para a nota, à exceção de Malta.

"O que está é a criar-se é uma escola com menos oportunidades, que começa a selecionar e a definir os perfis dos alunos e das alunas logo de tenra idade", para além de criar estados de ansiedade nas crianças.

O deputado lembrou que o BE já propôs a eliminação da prova no Parlamento, iniciativa rejeitada pela maioria PSD/CDS-PP, e que voltará a apresentar o diploma "logo que seja possível".

"Nove anos de idade, fora do meio, miúdos e miúdas deslocados, obrigados a assinar uma declaração que nunca por nunca vão atender um telemóvel, uma prova de duas horas e um quarto. Há provas na universidade que não tem tanto tempo. Creio que está tudo dito com o inusitado disto", criticou.

Luís Fazenda frisou que o BE "não é contra a avaliação" e defendeu que o sistema anterior funcionava como forma de avaliar eventuais necessidades dos alunos, condenando a "examinite como bandeira central de um Governo".

Os exames nacionais de Português decorreram hoje em todo o país, envolvendo quase 107 mil alunos, mais de 50 por cento numa escola diferente da sua.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG