Estradas cortadas e três povoações isoladas

Onze distritos de Portugal continental mantinham, ao início da manhã, estradas cortadas devido a inundações e ao deslizamento de terras, permanecendo isoladas as povoações de Reguengo do Alviela e Caneiras, em Santarém, e Valonguinho, em Viseu.

De acordo com um balanço das estradas cortadas atualizado pela Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) às 09:00, aos distritos de Aveiro, Braga, Coimbra, Évora, Leiria, Lisboa, Portalegre, Santarém, Setúbal e Viseu, juntou-se Faro, com a estrada que liga Marmelete a Selão cortada devido a deslizamento de terras.

O distrito de Santarém é o mais atingido, havendo estradas cortadas em 12 concelhos -- Abrantes, Constância, Vila Nova da Barquinha, Golegã, Chamusca, Alpiarça, Santarém, Cartaxo, Benavente, Coruche, Almeirim e Torres Novas --, mais um do que no anterior balanço feito pela ANPC.

No município de Santarém, está submersa a Estrada Nacional (EN) 365 na Ponte do Alviela, a jusante do Pombalinho, isolando a povoação do Reguengo do Alviela, a Estrada Municipal (EM) Santarém-Caneiras, o que deixou isolada a povoação de Caneiras, e também a EM 1345, que liga a Ribeira de Santarém a Vale Figueira.

Em Constância, encontra-se submerso o parque de estacionamento junto ao rio Zêzere, a estrada do Campo, que circunda a vila e liga a Montalvo, bem como o parque de campismo. Parte da baixa da vila está também inundada, segundo a ANPC.

Em Abrantes, está inundada a praia fluvial de Alvega e a marginal de Rossio ao Sul do Tejo está cortada devido a inundação, enquanto em Vila Nova da Barquinha se verifica a submersão parcial do cais de Tancos e do Parque Urbano.

Nos municípios da Golegã e Coruche, além de várias estradas cortadas, estão também inundados diversos campos agrícolas.

No distrito de Viseu, em Resende, está isolada a povoação de Valonguinho, na freguesia de Barrô, devido ao desabamento de parte da estrada municipal que dá acesso a esta localidade. A EM 537, que liga Barrô a Penajoia, está cortada devido a deslizamento de terras.

Em Águeda, distrito de Aveiro, estão cortadas devido a inundação a EM entre Espinhel e Oronhe, a EM entre Fontinha e Almiar e o Túnel Sardão.

No distrito de Braga, está interdita em Guimarães a EN 309 entre São Trocado e Rendufe devido a inundação e, em Vieira do Minho, um dos acessos à Barragem da Caniçada, a EM 1394, na sequência de deslizamento de terras.

No distrito de Coimbra há cinco estradas cortadas, nos municípios de Arganil, Montemor-o-Velho, Penacova e Soure, enquanto no distrito de Leiria se registava uma estrada submersa, no concelho de Óbidos: a EM 1409 entre o Arelho e o Vau.

Em Évora, há três pontes cortadas devido a inundação, todas no concelho de Mora: a ponte do Paço, entre Mora e Montes Novos, a Ponte da Ordem e a Ponte Camões, entre Cabeção e a EN 370.

No distrito de Lisboa, são três os concelhos atingidos pelas cheias: Azambuja, onde a EN 3-1 Quinta do Alqueidão está cortada devido a inundação, Loures, onde se verificou um abatimento do piso na EN 374-2 entre Lousa e Cabeço de Montachique, d Vila Franca de Xira, onde a EN 115-5 está intransitável na Granja, Vialonga.

Em Portalegre, há três estradas cortadas no concelho de Campo Maior, uma no de Avis e regista-se uma nova estrada cortada no município de Fronteira, entre São Saturnino e Cabeço de Vide.

Em Setúbal, no município de Alcácer do Sal, contabilizam-se duas estradas intransitáveis.

De acordo com o balanço feito ao início da manhã, a ANPC dá conta de quase 70 estradas cortadas por todo o país, devido à chuva intensa que caiu nos últimos dias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG