Especialistas avaliam medidas de combate à mortalidade

Especialistas em cardiologia de vários países europeus, entre os quais Portugal, vão estar reunidos a partir de hoje em Praga, para avaliar os resultados de um novo programa de combate à mortalidade por enfarte e para definir novas estratégias.

O programa "Stent For Life" (SFL) é uma iniciativa da Associação Europeia de Intervenção Cardiovascular Percutânea, que junta cardiologistas de intervenção, representantes dos Governos, industria e associações de doentes, com vista a assegurar atempadamente à maioria dos doentes, a melhor terapêutica para o enfarte agudo do miocárdio, a angioplastia primária.

Helder Pereira, presidente da Associação Portuguesa de cardiologia de Intervenção, responsável pela introdução do projeto em Portugal, refere que o principal objetivo da conferência é a apresentação de resultados pelos vários países aderentes.

"Neste fórum, os dez país envolvidos no projeto SFL, irão apresentar o resultados observados em cada um dos países e irá ser discutida a estratégia para o próximo ano. Uma temática que irá ser introduzida, a curto prazo, é o enfarte na mulher", explicou à Lusa.

Segundo o responsável, Portugal, que integrou o grupo em 2011, irá apresentar os resultados do primeiro ano de atividade, dos quais ressaltam três aspetos que considera necessitarem de melhoria.

"O tempo demasiado prolongado que os o doentes, com enfarte, levam até pedir ajuda, o diminuto número de doentes que pede ajuda através do 112, levando a que muitos deles (56%) se dirijam para hospitais sem possibilidade de executar angioplastia primária obrigando à transferência de hospital, com perda adicional de tempo, e o facto de não haver, em Portugal, uma estrutura organizada, que possibilite a transferência de doentes de hospitais locais, para aqueles que realizam angiopalstia primária (esta missão não está directamente atribuída ao INEM)", afirmou Helder Pereira.

A melhoria destes resultados tem que ver sobretudo com a sensibilização da população para os sintomas do enfarte e a atitude a tomar.

Para tal, está a ser realizada uma campanha de sensibilização junto de órgãos de comunicação, que a prazo deverá ser alargada através da "criação de novas oportunidades de comunicação", disse, acrescentando pretender ainda procurar junto do Ministério da Saúde "encontrar uma solução para o transporte inter-hospitalar".

Quanto à futura aplicação prática dos temas a serem abordados na conferência, Helder Pereira considerou que "a troca de experiências entre os vários países é muito enriquecedora, nomeadamente para Portugal, que foi o último país a integrar o grupo".

"É bom saber do sucesso dos outros e os meios com que o alcançaram. A experiência portuguesa também tem sido inovadora e tem despertado o interesse dos outros grupos, nomeadamente a inclusão de parceiros, que através da responsabilidade social, irão ajudar à divulgação do projeto", explicou.

Após esta reunião, os responsáveis do SFL vão reunir-se com o objetivo de acertar estratégias a curto e médio prazo, acrescentou.

Neste programa estão envolvidos dez países: Bulgária, França, Grécia, Sérvia, Espanha, Turquia (desde 2009), Egipto, Itália, Roménia (desde 2010) e Portugal (desde 2011).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG