Equipas de socorro não deram por uma vítima durante quase três horas

A mulher, de 55 anos, ainda foi alvo de manobras de reanimação, mas acabou por morrer.

Foram necessárias quase três horas para que as equipas de socorro que esta manhã acorreram à A12, junto à Ponte Vasco da Gama, onde se deu um choque em cadeia, percebessem que no interior de uma das viaturas estava uma vítima encarcerada, a qual acabou por morrer.

A mulher, de 55 anos, foi descoberta já durante a remoção dos carros acidentados e enquanto as equipas de desencarceramento trabalhavam noutras viaturas.

Uma situação que as equipas de socorro têm dificuldade em explicar.

"Não se consegue perceber qual a razão por que não foi verificado aquele carro... Com tantas pessoas que aqui circulavam... ele estaria ali no meio de todos os outros e, só após terem sido removidos os veículos, foi possível uma melhor aproximação para fazer a verificação", afirmou o segundo Comandante da Proteção Civil de Setúbal, Rui Costa. Terá sido feita uma vistoria exaustiva a todas as viaturas acidentadas, mas ninguém reparou que a mulher, única ocupante daquele carro, estava no seu interior.

"Este acidente de viação envolveu 17 viaturas, foi um acidente complexo. Os trabalhos de remoção das viaturas e de limpeza da via já duram há mais de quatro horas. Só foi possível chegar às viaturas interiores depois de remover as viaturas que se encontravam na periferia. Os meios estavam no local e o socorro prestado pela Proteção Civil, assim que foi possível chegar à vítima, foi feito", disse, por sua vez, a GNR, citada pela TVI24.

Quando foi encontrada, a mulher estava inconsciente. Levada para uma ambulância, ainda foi alvo de manobras de suporte avançado de vida, mas acabou por morrer.

Outras 15 pessoas ficaram feridas neste choque em cadeia, que envolveu 17 carros, um autocarro dos TST (Transportes Sul do Tejo) e uma mota. O acidente ocorreu às 9h45 entre o quilómetro cinco e sete, logo após as portagens do Pinhal Novo, junto à Ponte Vasco da Gama (sentido sul/norte).

A circulação esteve interrompida durante toda a manhã, tendo sido retomada apenas às 14h30.