Envelope secreto chegou aberto a Silva Carvalho

Mais um 'caso' no folhetim das 'secretas', desta feita revelado por Fernando Negrão aos deputados.

Fernando Negrão (PSD), presidente da comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, contou hoje aos deputados desta comissão que chegou aberto a Nuno Morais Sarmento, advogado de Jorge Silva Carvalho (ex-chefe do SIED), o envelope que lhe fora enviado pelo Parlamento, e que continha informações sobre os vários casos das 'secretas' recebidas, a título anónimo, pelo deputado socialista Sérgio Sousa Pinto.

Negrão contou ter recebido uma comunicação por e-mail de Morais Sarmento onde este contava que o envelope, aberto, vinha envolto num plástico, onde se lia uma mensagem assinada por um funcionário dos CTT: "Envelope aberto, peso 66 gramas".

Segundo acrescentou, das inquirições que fez concluiu que o envelope saiu fechado dos serviços parlamentares para a dependência dos CTT no Parlamento e daqui também fechado para a central postal que distribui o correio de Lisboa pelo país. Aqui, segundo a inquirição conduzida por Negrão, responderam-lhe que é com "relativa frequência" que acontece os envelopes serem abertos porque "a máquina engata no picotado". A menção "Envelope aberto, peso 66 gramas" terá sido colocada no posto local que fez a entrega do envelope ao advogado do ex-chefe do SIED.

Negrão disse não ter detectado no caso nenhum "indício de natureza criminal". Morais Sarmento não se queixou do eventual extravio de documentos entre a origem e o destino do envelope. Marques Júnior, presidente do Conselho de Fiscalização dos serviços de informações também recebeu idêntico envelope e não se queixou de ter chegado aberto.

Exclusivos