Ensino profissional não deve ser visto como "um castigo"

O secretário-geral da Federação Nacional de Educação (FNE), João Dias da Silva, defendeu hoje a valorização do ensino profissional, afirmando que "não pode "um castigo" ou apenas para alunos com "comportamentos mais irregulares ou com insucessos".

"O ensino profissional deve ser de visto com dignidade. Deve haver sobretudo reconhecimento social das qualificações profissionais obtidas durante o ensino secundário", acrescentou, em declarações à Lusa, João Dias da Silva, a propósito da realização da 1.ª Convenção Nacional FNE/Confederação Nacional das Associações de Pais (CONFAP), a decorrer no dia 06 de abril, no Porto.

Esta convenção, disse, será o momento para "refletir a necessidade de Portugal ter uma educação pública de qualidade para todos".

No entender do responsável, "o Estado não pode demitir-se das suas responsabilidades" e "os cortes cegos" na área da educação "também devem ser combatidos".

"Não pode haver uma diminuição de recursos nas escolas, quer humanos quer financeiros, para níveis que impeçam a concretização de objetivos", sublinhou.

Nesta iniciativa, em cima da mesa estarão em destaque "a qualidade e a universalidade" no ensino.

João Dias da Silva entende que Portugal "tem insuficiências muito grandes em termos de qualificações dos seus ativos adultos", considerando ser essencial apostar numa qualificação virada "para o aumento da empregabilidade".

Quanto à ideia de que a educação é universal, "para todos", Dias da Silva considerou que não se pode tratar os alunos "de forma igual".

"É profundamente injusto tratar igualmente aquilo que é desigual e como o princípio é de justiça na instituição de um bem que é a educação, para este ser justamente distribuído, ele tem que ser diferentemente distribuído de acordo com aquilo que são as necessidades de cada um", sustentou.

Na opinião do secretário-geral, a educação pré-escolar e 1.º ciclo são "pilares fundamentais para um percurso escolar de sucesso".

Esta convenção contará com a presença de cerca de 200 participantes, entre pais, professores, trabalhadores não docentes, ex-ministros, autarcas, diretores de escola e representantes do ensino superior.

O evento "integra-se num conjunto de iniciativas que a CONFAP e a FNE têm desenvolvido com estas preocupações", marcando o "início de um caminho no sentido de promover convergências em torno de uma estratégia capaz de assegurar" os objetivos defendidos.

O secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, João Grancho, bem como os ex-governantes David Justino e Guilherme de Oliveira Martins, são algumas das personalidades que marcarão presença no encontro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG