Encargos com água, saneamento e lixo subiram 3,3% em 2013

A ERSAR concluiu que se mantém uma "injustificada disparidade" das tarifas aplicadas aos utilizadores.

Os custos dos serviços de abastecimento de água, saneamento e tratamento de lixo aumentaram 3,3% no ano passado, atingindo um encargo médio para as famílias de 21,39 euros, segundo a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR).

Os encargos mensais com os três serviços, tendo em conta um consumo de 10 metros cúbicos, variaram entre um máximo de 40,71 euros e um mínimo de 1,5 euros: no caso do abastecimento de água, a variação situou-se entre 20,38 e 1,5 euros, no saneamento entre 21,04 e zero euros e no tratamento de resíduos entre 13,12 e zero euros.

O custo dos serviços de saneamento foi o que mais aumentou, atingindo um encargo médio de 6,74 euros, mais 5,48% do que em 2012, enquanto a fatura da gestão de resíduos se fixou, em média, nos 4,18 euros, mais 4,24% do que ano anterior.

Os encargos com o abastecimento de água tiveram um acréscimo de 1,75%, o que significa uma conta mensal de 10,47 euros.

Na análise aos tarifários aplicados em 2013 em 278 concelhos, a ERSAR concluiu que se mantém uma "injustificada disparidade" das tarifas aplicadas aos utilizadores, apesar de a diferença ter sido reduzida (1 para 14 face à relação de 1 para 22 que se verificava em 2009).

A ERSAR salienta que subsistem "situações em que a estrutura dos tarifários aplicados ainda não é eficiente, nomeadamente quando não é faturado qualquer valor pelo serviço prestado".

O tratamento de esgotos, por exemplo, não é cobrado em onze concelhos, e a gestão de resíduos noutros onze. Cinco municípios não cobram nenhum destes dois serviços.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG